Sessão pipoca #13 - Por Lugares Incríveis (Dica de filme para a quarentena)




Olá, galera! Assim como eu, acredito que muitos estão com momentos de completo tédio nessa quarentena. Então, trarei uma indicação de filme que assisti ontem e gostei muito. O filme se chama Por Lugares Incríveis e está disponível na Netflix.

Bom, vou colocar aqui para vocês a sinopse e, depois, falarei sobre a minha impressão do filme, personagem favorito, algumas citações e muito mais.

Sinopse: Quando Theodore Finch (Justice Smith) conhece Violet Markey (Elle Fanning) em circunstâncias nada usuais, uma amizade única surge entre os dois. Cada um com seus próprios traumas e sofrimentos, eles se juntam para fazer um trabalho de geografia e acabam descobrindo muito mais do que os lugares incríveis no estado onde moram: a vontade de salvar um ao outro e continuar vivendo.

Nota: ⭐⭐⭐⭐

***

Confesso que tive receio de assistir essa produção da Netflix por dois motivos: medo de chorar até desidratar e/ou de não gostar (pois eu criei muita expectativa). Mas, vamos lá!

Por Lugares Incríveis, ou All the Bright Places (título original),  é baseado no livro de mesmo nome da autora Jennifer Niven. A história que embala o filme, no entanto, é bem parecida com diversos outros, mas, por alguma razão, o torna único.

“Às vezes, a pessoa de quem você precisa, precisa ainda mais de você.”

Meu personagem preferido, sem dúvidas, é o Finch. Totalmente alto astral, ele sabe cativar qualquer um - ainda que ele seja chamado de "aberração" pelos colegas de classe. A construção da relação entre Violet e Finch é muito bonita de se ver*.

“As pessoas estão sempre dizendo o que eu sou. Aberração.”

Violet acabou de perder a irmã em um acidente de carro e, por um momento, pensa em acabar com sua vida. Essa, inclusive, é a primeira cena do filme e é quando eles se "conhecem". Violet e Finch são alunos na mesma escola e classe, mas não tinham sequer relação de amizade. Entretanto, a forma como o Finch tenta salvar a Violet parece que eles são verdadeiros amigos.

"Sabe do que eu gosto em você, Ultravioleta? Você é todas as cores em uma só. No brilho máximo."

Michele K. Short/Netflix


A aula de geografia é o ponto-chave da história. Tudo que acontece depois desse encontro entre Violet e Finch é por causa de um projeto que o professor de Geografia passa. O intuito é que cada dupla visite e conheça lugares na Indiana, onde eles moram.

O filme aborda, sobretudo, temas como depressão, bulimia, autoflagelação. Com cenas bem engraçadas e alegres entre os protagonistas, eu achei que não ia sequer me emocionar, de fato. Mas me emocionei e muito com o final.

Eu não peguei nem um mísero spoiler do filme, mas, na minha cabeça, era fato que o final seria como foi. Me lembrou muito outros grandes longas como Um Amor para Recordar, A Culpa é das Estrelas e A Cinco Passos de Você.

“Ele me ensinou a vagar. Me ensinou que não preciso escalar uma montanha para estar no topo do mundo. Que até o lugar mais feio pode ser o lugar mais lindo, contanto que a gente se dê tempo pra olhar. E que tudo bem a gente se perder, contanto que se encontre outra vez.”

***

 Crítica 

Então, em certos momentos, eu achei que, por mais que a história deles estivesse sendo construída e tal, pareceu tudo muito corrido. A Violet ficou "feliz" muito rápido, o Finch se apaixonou muito rápido também. Mas, pensando no filme em geral, eu gostei bastante. Vale a pena dar uma chance! :)

***

É isso! Espero que tenham gostado do post. Até logo!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.